Doenças Renais na Infância

Bebês, crianças e adolescentes também podem sofrer com doenças renais 

A doença renal não é exclusiva dos adultos e, diferente do que se deve imaginar, pode atingir até mesmo bebês, crianças e adolescentes. Durante a infância a principal causa é a malformação urológica.  

Esse tipo da doença torna os rins incapazes de exercerem suas funções plenas e como se desenvolve de maneira lenta e gradual, a doença é chamada de crônica. Pode ser assintomática, chegando ao corpo silenciosamente. 

Entre as possíveis causas da doença renal está o histórico familiar. Bebês que nascem com peso muito baixo, infecções urinárias e histórico de inflamações renais também estão entre as possíveis razões.  

Afinal, quais são as funções dos rins? 

Os rins são importantíssimos para o funcionamento do organismo principalmente porque são responsáveis por 3 ações essenciais para o corpo, como: 

– Eliminar toxinas resultantes do metabolismo, tais como a ureia; 

– Manter o equilíbrio de água e eletrólitos do organismo, evitando o inchaço; 

– Produzir hormônios que formam as células vermelhas, vitamina D e renina. 

Quais são os sintomas em crianças e adolescentes? 

Primeiro sinal da criança é dificuldade de ganhar peso e crescimento inadequado para a idade. Depois, pode haver outros sinais semelhantes aos dos adultos. Dentre eles estão:

  • Inchaço nos pés e pernas; 
  • Anemia; 
  • Aumento da pressão arterial e sangue ao urinar.  

Em casos mais extensos, pode ser notável um cansaço incomum nos filhos e até mesmo baixo desenvolvimento da estatura. Os pais precisam ficar atentos! 

Como é feito o diagnóstico em crianças? 

É imprescindível levar o filho a um nefrologista para obter o diagnóstico correto o mais cedo possível. Caso contrário, podem ocorrer consequências graves para a saúde. Por isso, assim que os pais notarem alguma alteração, recomenda-se que levem os mesmos para serem avaliados em consultório com exames clínicos e laboratoriais mais precisos. Normalmente, o diagnóstico é atribuído após a realização de exames de urina e dosagem da creatinina e ureia no sangue, mas a ultrassonografia renal também é bastante utilizada.  

Tem tratamento? 

Sim! Mas é essencial consultar-se com um nefropediatra para indicar o melhor tratamento para o seu filho.  

Como posso evitar que isso aconteça com meu filho? 

Desde o pré-natal a mulher deve incluir esses novos hábitos ao dia a dia após conversa com seu ginecologista e obstetra. Além de adotar um estilo de vida saudável com a prática regular de exercícios físicos, manter um peso adequado, dieta rica em alimentos naturais e nutrientes.  

Mesmo assim, as medidas preventivas em um primeiro momento devem ser simples. Após consulta, é preciso adaptar as ações rotineiras de acordo com as indicações do pediatra.  

A idade influencia? 

Sim! Bebês, crianças e adolescentes passam por questões diferentes quando sofrem com a insuficiência renal. 

– Recém-nascido:  

É importante manter o aleitamento materno, pois ele previne de várias doenças e favorece o crescimento adequado da criança. 

– Crianças e adolescentes: 

Ambas as idades devem se prevenir contra a obesidade, se exercitar regularmente, evitar vícios prejudiciais, inclusive hábitos alimentares com muita gordura e açúcar. Além disso, as pessoas próximas aos jovens devem também estar atentas a insuficiência para manter os padrões alimentares necessários etc. 

Portanto, vale ressaltar que a prevenção contra doenças renais começa antes da gravidez e permanece por toda a infância. Consultas médicas são indispensáveis para avaliar o estado de saúde geral tanto dos adultos, quanto das crianças.  

Conheça nosso Corpo Clínico!

Outras Notícias: