Janeiro Branco e a Doença Renal

O “Janeiro Branco”, assim como outros movimentos que unem uma cor a uma causa social, tem recebido muita atenção e bastante destaque nos últimos anos. Em 2020, devido a pandemia do novo coronavírus, o tema “Saúde Mental” ganhou ainda mais evidência. Logo, a expectativa é que, no início de 2021, o Janeiro Branco traga um impacto bastante positivo para a sociedade. Neste artigo, você saberá mais sobre a campanha e sua relação com a DRC. Acompanhe! 

O que é esta campanha? 

O Janeiro Branco consiste no convite à reflexão sobre a saúde mental. É uma verdadeira convocatória para o debate da sociedade sobre o assunto. Temas como o adoecimento emocional, o sofrimento psíquico, existencial, transtornos cada vez mais comuns como a depressão e a ansiedade generalizada, além do suicídio, não devem ser vistos como um tabu, pelo contrário, eles precisam ser mais presentes para que tenhamos conhecimento e, desta forma, saibamos nos prevenir.  

Como ela surgiu? 

Esta campanha foi idealizada por um grupo de psicólogos e psicólogas em Minas Gerais, no ano de 2014. De lá para cá, nestes mais de sete anos, a campanha se difundiu e alcançou até mesmo outros países, como o Japão. 

O mês destinado à saúde mental foi escolhido porque, simbólica e culturalmente, janeiro é um tempo de renovação. As pessoas fazem planos, metas e um “balanço” do ano anterior. Por vezes, há também a melancolia nesta época do ano. 

A doença renal e a saúde mental  

Já relatamos em nosso Blog sobre a importância da assistência psicológica no tratamento dos pacientes renais.  Hoje, viemos reforçar essa ideia e ainda compartilhar outros conhecimentos sobre o assunto. Continue sua leitura.  

A saúde mental ou a saúde integral (que une o bem-estar biopsicossocial e espiritual) vai muito além da ausência de transtornos ou síndromes. 

Pelo contrário, a saúde é um termo amplo e abrangente, mas que pode ser “resumido” neste estado de bem estar em que o sujeito consegue apreciar a vida, trabalhar e contribuir para a sociedade, ao mesmo tempo que que gere suas emoções, conforme aponta a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Portanto, fica claro o desejo de que nossos pacientes, ainda que, vivendo a DRC, tenham uma saúde plena. Isso, com certeza, inclui a saúde da mente.  

Segundo nosso psicólogo, Lucas Simião

Sobre a relação da saúde mental com o paciente renal crônico, o especialista explica, “ele (paciente) sofre um impacto emocional e social muito grande quando ele vai para a hemodiálise”. A vida do paciente e de seu familiar é transformada. 

Ao mesmo tempo que há uma melhora clínica (por conta do tratamento da hemodiálise ou da diálise peritoneal), há também um abalo emocional de aceitação e adesão ao tratamento. Afinal, as mudanças podem vir acompanhadas do medo, insegurança, raiva, culpa, entre outros sentimentos que trazem um desgaste emocional muito grande, Lucas nos contou. 

É por isso que, toda a equipe de saúde sempre traz a questão do autocuidado e da autonomia. O amparo clínico e social deve vir acompanhado do acolhimento psicológico. Por estes e outros motivos a Nefroclínica prepara tão bem seus colaboradores em questão de atendimento e humanização. 

autocuidado vem através da atenção consigo mesmo, adesão ao tratamento, seguindo as recomendações médicas, nutricionais, etc. Já a autonomia vem através do desenvolvimento da habilidade de compreensão dos processos que vão para além da clínica. É preciso buscar ressignificar, isto é, atribuir um novo sentido.  

Ressignificar 

Nosso psicólogo reforça que é preciso desmistificar o tratamento, pensar no futuro, ser resiliente e receptivo às mudanças, além de entender que elas são necessárias. É de extrema importância compreender o ponto positivo da hemodiálise: a melhora da qualidade de vida.  

Além disso, muitas vezes o que é visto como “perda” também pode ser ressignificado. É o caso do paciente que pratica esportes, realiza algum tipo de trabalho, mantém suas atividades sociais, viaja. Essas atividades podem e devem ser mantidas, basta haver a conciliação entre elas e o tratamento. Entender que a DRC não é uma “sentença final” é uma das buscas necessárias.  

Lucas ainda citou o livro “Sobre a morte e o morrer” de Kubler-Ross que aborda, entre outros temas, sobre a possibilidade do paciente “dar o próximo passo”. Ou seja, entender seus limites para então transcendê-los, superando-os. Afinal, o paciente não é sua doença e ele sempre pode buscar novos sentidos em sua vida.  

Nosso psicólogo reforça, então, a necessidade do acompanhamento psicoterapêutico do paciente da DRC.

Reprogramação mental 

Lucas citou ainda as técnicas de reprogramação mental, aquelas que trabalham nosso inconsciente, diminuindo os resquícios das crenças negativas e limitantes.  

A reprogramação mental vem no sentido de mudar tais crenças, são diversas técnicas que vão desde a psicanálise, até a hipnose e a PNL (programação neuro linguística). 

Por fim, ele destaca algumas dicas para a saúde geral, confira abaixo. 

Práticas positivas para manter-se bem, de forma equilibrada 

  • Pratique esportes: toda atividade física libera endorfina em nosso organismo, esta é a substância responsável pela regulagem do humor. Reduz o estresse e diminui a ansiedade, combate a depressão e ainda traz diversos benefícios físicos; 
  • Alimente-se de modo balanceado: o excesso de alimentos gordurosos, açucarados e alcoólicos pode trazer certa indisposição, assim como prejudicar a saúde. Uma alimentação saudável é sempre uma boa escolha. Por isso, intercale frutas, verduras, legumes, carnes e carboidratos de forma equilibrada; 
  • Construa boas relações: evite contato com pessoas que agem violentamente de modo constante. Esse tipo de contato pode afetar sua autoestima e ainda desencadear transtornos dos mais diversos tipos. Se necessário, busque a ajuda de um psicólogo ou rede de apoio; 
  • Mantenha um diário: a escrita terapêutica pode funcionar como um alívio do estresse da rotina. Com a escrita, vem também o momento de reflexão e é possível clarear os pensamentos e sentimentos, bem como se conhecer melhor. 

Nós, da Nefroclínica, prezamos sempre por um atendimento multidisciplinar completo e humanizado, aproveite e conheça nossa equipe!

Outras Notícias: