Reabilitação pós-Covid na DRC

A Covid-19 tem atingido uma imensidão de pessoas ao redor de todo o mundo.  Cada vez mais, a faixa etária, condição física e de saúde do paciente têm sido menos relevantes no momento do contágio e na gravidade dos sintomas.  

Pessoas pacientes da doença renal crônica também têm sofrido com o novo coronavírus, saiba mais sobre o assunto logo abaixo! 

Estudos apontam impactos sobre os rins  

Segundo o artigo científico “Post-COVID-19 rehabilitation: a special look at chronic kidney disease patients” (disponível para leitura na internet, porém, em língua estrangeira), produzido pelos autores  
Heitor S. Ribeiro, Antônio Inda-Filho, Paul N. Bennett e, as pesquisadoras e fisioterapeutas da Nefroclínica, Amanda E. Rodrigues, Jennifer Inácio Cantuária; há evidências de que o Covid-19 (novo coronavírus) pode impactar negativamente os rins e a DRC (doença renal crônica). Gerando ainda, um prognóstico negativo para a DRC. 

As principais sequelas do Covid nos pacientes da DRC foram a recuperação incompleta da função renal, atrofia muscular, fraqueza, cansaço, fibrose pulmonar (lesão nos tecidos dos pulmões) e necessidade de terapias substitutivas para os rins. 

Isto é, as sequelas atingem principalmente ao sistema cardiopulmonar, musculo esquelético e cognitivo. 

Reabilitação pós-covid na doença renal crônica  

Pensando também em formas de proporcionar e promover conhecimento acerca de como melhorar a saúde do paciente na DRC através de terapias de reabilitação, trouxemos aqui um panorama sobre o artigo científico mencionado acima, acompanhe!  

Segundo a pesquisa, os programas de reabilitação, além de tratar os danos sistêmicos ainda proporcionam benefícios à saúde a longo prazo.  

Reabilitação cardiorrespiratória  

Pacientes que dialisam ou têm a DRC precisam ter a função cardiorrespiratória acompanhada de perto, já que, são um grupo de alto risco.  

A fibrose pulmonar, por exemplo, pode ser agravada nestes pacientes. O que, consequentemente pode acarretar a dispneia e fibrose pulmonar por até 6 meses 

Já a função cardíaca, também pode ser fortemente afetada, causando lesões agudas e arritmias, o que contribui para o maior risco de mortalidade nestes pacientes.  

Portanto, é preciso investir em exercícios aeróbios, como modificador potencial, mudanças de hábitos, adequação de medicações e exercícios terapêuticos de reabilitação para aliviar sintomas de longo prazo, ativar mecanismos antioxidantes e defesas inflamatórias. 

Alguns fatores precisam ser considerados para a elaboração do programa de reabilitação, alguns deles são: 

  • Kt/V > 1,2 (pacientes em diálise); 
  • Ganho de peso inter-dialitico > 4kg deve ser evitado ou individualmente analisado (pacientes em diálise); 
  • Monitoramento das anormalidades eletrolíticas; 
  • Avaliação da presença de congestão pulmonar, derrame pleural, hipertensão pulmonar e edema periférico. 

Reabilitação musculoesquelético 

Pacientes da DRC frequentemente têm perda de massa muscular, fraqueza muscular e comprometimento da função física, quando acometidos pelo vírus SARS-Cov-2, podem entrar em um alto risco de comprometimento músculo esquelético. 

Casos de pacientes graves que necessitaram internações em UTI podem refletir em atrofias musculares, inflamação sistêmica e atrofia. Assim, há também o risco da sarcopenia (perda de massa muscular). 

Dessa forma é preciso realizar exercícios resistidos e a eletroestimulação. 

Reabilitação cognitiva 

Abordando também o aspecto psicológico, é preciso reduzir os danos causados pela quarentena, isolamento e contato reduzido com pessoas próximas. O que pode causar medo, estresse e ansiedade, levando aos déficits cognitivos como falta de memória, concentração, foco, dificuldade de tomadas de decisão, entre outros.  

A terapia, assim como, estratégias de cadernos de anotações podem auxiliar o paciente neste quesito. 

Conclusão 

Constatou-se que, tais pacientes devem ser monitorados, em especial, os sistemas cardiorrespiratórios, musculoesquelético e cognitivo. 

Lembramos que, como reforça o artigo, ações de reabilitação preventiva podem mitigar danos à função renal. 

A Nefroclínica reforça seu compromisso em trazer atualizações e informes aos seus colaboradores e pacientes. 

Lembramos você de que, agora, a Nefroclínica oferece a fisioterapia para seus pacientes em diálise, algo que pode auxiliar a reabilitação pós-covid. Para maiores informações consulte seu convênio conosco. 

Você precisa de ajuda? Nossos contatos são: 

Telefone: (62) 3251-1911 

E-mail:contato@nefroclinicagoiania.com.br 

Endereço: RUA C-149, QD 323 LTS 6/7 Nº 1145 JARDIM AMÉRICA – GOIÂNIA – GO 

Estamos a sua disposição!  

Outras Notícias: