Tudo o que você precisa saber sobre hemodiálise

Nosso nefrologista explica o que é o tratamento, sua importância e para quem é indicado.

O nefrologista Dr. Heitor Rocha, um dos médicos que compõem a equipe profissional da Nefroclínica, conversou conosco sobre este tratamento.

Segundo ele, a hemodiálise é o processo de filtração do sangue. Remove excesso de toxinas, impurezas que acumulam quando o rim não está funcionando muito bem.

No texto abaixo, trouxemos um pouco mais sobre o tratamento, sua importância e perfil dos pacientes que o necessitam. Leia-o na íntegra para saber mais do assunto!

Como é feita a hemodiálise?

Existem dois modos de iniciar este tratamento: com uma fístula arteriovenosa ou com um cateter.

Quando se utiliza a fístula, cria-se um acesso intravenoso no braço do paciente. O sangue então flui até a máquina que possui um filtro de diálise.

Este filtro de um lado permite a passagem do sangue do paciente e do outro lado ocorre a passagem da solução de diálise.

Substâncias tóxicas, potássio, fósforo, são removidos do sangue e passadas para a solução de diálise. Após este processo, o sangue retorna filtrado ao paciente.

Para que isso seja possível, é necessário que, meses antes do início das sessões, o paciente passe por uma pequena cirurgia no braço. Esta cirurgia é feita por um médico cirurgião vascular e conta com a ajuda da anestesia local.

Como funciona o cateter?

Quando se utiliza o cateter de hemodiálise, um pequeno tubo é inserido na virilha, toráx ou pescoço do paciente, usando também a anestesia local.

Esta opção pelo cateter é feita quando o paciente ainda não possui a fístula arteriovenosa.

Portanto, ela é uma solução temporária, já que o cateter pode favorecer uma infecção ou obstrução e precisar ser trocado constantemente.

Por que devo fazer este tratamento?

“A hemodiálise, além de melhorar sintomas como a falta de apetite, cansaço, náuseas, vômitos e anemia. Também oferece a possibilidade de uma rotina praticamente normal, trazendo mais qualidade de vida ao paciente”, como nos explica o Dr. Heitor.

Indo além, o fato de estar realizando a hemodiálise, ele também tem o ganho de não precisar realizar uma dieta tão rígida.

Quando é necessária a hemodiálise?

Para os pacientes que têm perda renal em que, seus rins funcionam entre 10 a 15% de sua potência, a hemodiálise é a alternativa mais eficaz. Ou seja, ela é indicada para pacientes renais crônicos graves e agudos.

A princípio, poderão ser indicados medicamentos na tentativa de controlar o quadro clínico e evitar a necessidade da hemodiálise.

Se a terapia medicamentosa não levar ao resultado esperado, é possível que seja indicado a limpeza e filtragem do sangue.

Para manter a saúde geral e dos rins, consulte seu médico para, pelo menos, um check-up anual. Se você é paciente renal, mantenha suas consultas e exames em dia, lembre-se de adequar sua alimentação da forma necessária.

Para os pacientes que receberam a indicação da hemodiálise recentemente, lembre-se de anotar todas as suas dúvidas e conversar com seu médico. Entender mais sobre o tratamento melhora, inclusive, a adesão a ele.

Outras Notícias: