Corona vírus: 40% dos pacientes graves precisam fazer hemodiálise

O vírus da Covid-19 pode afetar pessoas de diferentes maneiras. Entenda como isso afeta os rins e porque é necessária a hemodiálise 

Os sintomas mais comuns da Covid-19 são semelhantes ao da gripe, porém o novo coronavírus tem alguns diferenciais. Entre estes sinais podemos citar: tosse seca recorrente, febre alta, cansaço, dor muscular por todo o corpo, diarreia e ainda a perda do olfato e do paladar. 

Neste artigo, apresentaremos a você um pouco mais sobre a relação da Covid-19 e a saúde renal, acompanhe! 

A Covid-19 e os rins 

O corona vírus pode vir a acometer os rins em casos graves da infecção, a Sociedade Americana de Nefrologia estima que 20 a 40% dos pacientes internados terão os rins afetados.  

Em alguns casos, o paciente evoluiu com alteração da função renal, a chamada injuria renal aguda que, dependendo da gravidade do acometimento pode necessitar de hemodiálise. Os exames que identificam alteração na função renal são ureia, creatinina, EAS e dosagem de proteína na urina. 

Causas  

Ainda não há uma resposta “final” para a causa destas complicações. Porém, até o momento sabe-se que o coronavírus causa uma “tempestade inflamatória” no organismo. Isto é, o sistema de defesas tenta combater o vírus e gera uma resposta exagerada, provocando uma forma de inflamação “generalizada”.  

Dentro deste cenário de múltiplos fatores, é possível que ocorra a nefrite (inflamação dos glomérulos renais). 

Necessidade pela hemodiálise 

Pacientes que vierem a ser acometidos pela IRA ou pela DRC poderão necessitar a hemodiálise, a terapia de substituição dos rins.  

O tratamento, de forma simplificada, consiste em um aparelho que recebe o sangue do paciente, filtra o sangue com a solução de diálise e retira os líquidos e toxinas em excesso. Em seguida, ele é devolvido ao paciente, através do acesso vascular.  

Para saber mais sobre o assunto, sugerimos a leitura do artigo Hemodiálise: todo paciente renal terá que fazer? 

Recuperação pós-covid 

Não há meios de saber com precisão se, após a recuperação da infecção pelo coronavírus, o paciente terá seu quadro de disfunção renal mantido. Isso pode variar muito de pessoa para pessoa, alguns fatores envolvidos podem ser a idade, a história clínica do paciente e o grau de lesão sofrida durante a Covid-19. 

De qualquer forma, sabemos que a recuperação dos rins é comumente lenta, em comparação a recuperação dos sintomas respiratórios, por exemplo. Também podemos inferir que, pacientes com histórico pregresso de doenças renais, especialmente os idosos, poderão necessitar do tratamento de substituição dos rins por um tempo um pouco maior.  

Prevenção 

Vale lembrar que, para prevenir o Covid-19 é preciso manter o isolamento social (sempre que possível), usar máscaras para ir à rua (quando necessário), evitar aglomerações e conservar uma boa higiene, lavar as mãos constantemente ou usar o álcool gel. 

Por fim, deixamos aqui nossas Dicas para fortalecer corpo e mente na pandemia

Outras Notícias: